Retrato Pintado


Na memória do meu passado
ficou escrito que de tanto amar
e não ter sido amada,
apenas fui pintada de todas as cores...
Cada amor que fingia amar-me,
usava uma aquarela diferente para me colorir
conforme a cor de sua própria mente...
E não se esqueceu nem dos desenhos de giz
que fugiam à realidade do traço,
que roubavam de mim o melhor pedaço...
Cada amor que fingia amar-me
soube pintar-me do jeito que bem quis
e depois deixar comigo a cor de sua tinta...
E na tela da minha vida
fui verde, amarelo, azul,
preto, vermelho, roxo...
Algumas vezes colorida demais
em uma verdadeira mistura de tintas..
Em outras, apenas fui branco e preto...
Também nos rascunhos de desenhos
não houve sequer contorno de nanquim.
Apenas borrões em alto relevo
apagando os meus verdadeiros traços...
Hoje, se houver algum novo amor
e quiser passar-me a limpo,
terá dificuldades em decifrar
tantos desenhos de giz,
tantos rascunhos sem nanquim,
tantos borrões em alto relevo,
tantas cores misturadas...
E, ai de mim! depois de tantas dores,
de tantas tintas, de tantas cores...
quando me vejo no meu fiel espelho
nem eu mesma consigo ver
de que cor realmente eu me tornei!


- Cida Alfieri -




Atualizações Contato Voltar Poesias


Cida Alfieri Copyright © 2010| Descalvado|SP
Webmaster Sonia Soares| Gráficos Sonia Soares